Carta Aberta aos Associados Portugal Activo

Caros Associados,

O nosso Sector está a atravessar uma fase muito difícil.

Dirijo-me a todos vós, principalmente, com o objectivo de vos agradecer a resposta que o nosso Sector deu nesta Pandemia do Covid-19. Demonstramos que somos um Sector responsável porque a maioria dos Clubes encerraram praticamente uma semana antes do encerramento por Decreto-Lei pelo Governo.

Tivemos a consciência que não tínhamos condições para operar em segurança para os nossos clientes. Conseguimos em dois ou três dias alterar a prescrição de exercício físico do presencial para o on-line. Adaptamo-nos rapidamente a uma nova realidade e conseguimos nessa acção reter a maioria dos nossos clientes, mesmo que na maioria dos casos, tivesse sido à custa de descontos nas mensalidades.

No dia 16 de abril reunimos com a nossa tutela, o Secretário de Estado do Desporto e da Juventude (SEJD), e apresentámos dois documentos: as medidas para a reabertura em segurança dos nossos Clubes e as medidas de apoio específicas para o nosso sector.

Antecipamo-nos na apresentação de proposta para a reabertura, através de um estudo de benchmarketing que efectuamos a nível da Europa, nos países que já tinham reaberto os Clubes de Fitness. Esta proposta foi elogiada pela SEJD, mas carecia de apreciação e aprovação pela DGS.

Em relação ao outro documento, dos benefícios específicos, apresentamos duas propostas:

- Redução do Iva do Sector para 6% durante 12 meses, com início na data de abertura dos Clubes de Fitness;

- Benefícios Fiscais em sede de IRS no valor de 400€/ano para cada praticante de exercício físico nos nossos Clubes.

Desde esta data, não obtivemos qualquer resposta da nossa tutela e, como tal, fizemos uma carta ao Ministro da Economia e desencadeámos uma série de acções nos Órgãos de Comunicação Social.

Quando concluímos que a abertura do nosso Sector não era prioridade do Governo, não havendo sequer data previsível para a reabertura, mudamos completamente a nossa estratégia.

Passamos a focar a nossa acção completamente nas medidas específicas de apoio ao nosso Sector, por forma a esbater os prejuízos financeiros que serão muito relevantes e por longo período de tempo no Fitness.

No passado dia 13 de maio tivemos reunião com o Ministério da Economia, em que apresentamos além das duas medidas anteriormente apresentadas, redução do Iva e benefícios fiscais em sede de IRS, apresentamos mais duas:

- Possibilidade de extensão do layoff para os nossos Clubes até ao final de 2020;

- Apoio às medidas Covid-19 a implementar na reabertura para as Microempresas (até 10 colaboradores dependentes) com limite máximo de 5.000€ e limite mínimo de 500€, sendo elegidas 80% das despesas efectuadas para este âmbito a partir de 16 de março (podem incluir-se aqui despesas relativas à digitalização, EPI’s, produtos de limpeza e higienização, etc.).

Na própria reunião foi-nos confirmado que o nosso Sector é elegível para esta medida de apoio, sendo a sua aprovação efectuada no Conselho de Ministros de 16 de maio e denomina-se Programa ADAPTAR.

Pensamos ainda que uma das acções que contribuiu para o acelerar das conversações do Governo com o nosso Sector, foi a iniciativa do #salvarofitness, que contou com a colaboração de muitos Clubes e tem sido um grande sucesso nas redes sociais. Agradecemos a todos o vosso apoio e empenho nesta Campanha que é mais uma prova importante da vitalidade do Fitness.

Continuaremos a lutar por medidas que apoiem o nosso Sector de forma a que todos consigamos “sobreviver” a esta Pandemia e, a ter uma reabertura dos Clubes em segurança para os nossos clientes, dando confiança a todos eles, pois somos um Sector responsável e de muita qualidade, em todo o Continente e Ilhas.

 

Com os melhores cumprimentos.

14.05.2020

José Carlos Reis

Presidente da Direcção